Plano de Ação Associação Magdala – 2013


banner_magadala

I – FINALIDADES ESTATUTÁRIAS:

A Associação Maria de Magdala tem por finalidade ser presença junto às mulheres em situação de vulnerabilidade social, prioritariamente em risco, em situação ou que passaram pela prostituição, prestando-lhes serviços e apoio para que sejam respeitadas como seres humanos, cidadãs de direitos.

II – OBJETIVOS:

  • Promover rodas de conversa, encontros e cursos que resgatem a autoestima positiva das envolvidas.
  • Promover ou encaminhar para cursos de capacitação profissional.
  • Conscientizar e sensibilizar a mulher para a busca de seus direitos e exercício de sua cidadania.
  • Incentivar o protagonismo das mulheres apoiando-as na suas tomadas de decisões e organizações.
  • Desenvolver ação educativa e preventiva junto aos filhos e/ou netos.
  • Promover estudos e pesquisa em relação à questão das mulheres em situação de prostituição.
  • Lutar pelo cumprimento das leis de proteção da mulher.
  • Denunciar a exploração do comércio do sexo e toda forma de discriminação, violência e marginalização das mulheres em situação ou em risco de prostituição.
  • Suscitar novas relações de gênero na construção de uma sociedade justa e igualitária.

III – ETAPAS DO TRABALHO DE ACORDO COM A FASE EM QUE A MULHER SE ENCONTRA:

  • Sensibilização: tecer um vínculo amistoso com a mulher.
  • Integração: capacitação técnica.
  • Organização: Busca pessoal de formas solidárias e sustentáveis de sobrevivência.
  • Seguimento: apoio.

 IV – ORIGEM DOS RECURSOS PREVISTOS:

  • Subvenção municipal;
  • Cáritas Diocesana;
  • Doações mensais fixas;
  • Transação penal da 3ª. Vara Criminal;
  • Doações mensais em carnê;
  • Doações esporádicas;
  • Eventos realizados pela entidade como: almoços beneficentes, bazares, rifas.

 V – INFRAESTUTURA:

  • Casa com seis cômodos: três salas e uma cozinha semi-industrial, banheiro, quarto de despejo e quintal.

Endereço: Rua Senador Fonseca, 517 – Centro – Jundiaí – SP.

Propriedade da Mitra Diocesana.

  • Sala de reuniões da Catedral NSD.

Praça Governador Pedro de Toledo s/n – Centro – Jundiaí – SP.

 

VI – PÚBLICO ALVO:

Caracterização Socioeconômica da população da área de abrangência

A Associação “Maria de Magdala”, fundada em Jundiaí – SP, em 22 de novembro de 1995, atende mulheres em situação de vulnerabilidade social, principalmente as que se encontram em risco, estão ou passaram pela prostituição, cujas famílias lutam pela sobrevivência e convivem  com a fome, desnutrição, doenças físicas e psicológicas, analfabetismo, baixa autoestima e em condições subumana de moradia. A maioria, em situação de decadência, foi vítima da violência sexual infanto-juvenil – dentro de casa – e da miséria ligada à promiscuidade sexual, podendo considerar que lhes foi imposta, como trajetória de vida, a prostituição. Essas mulheres são mães de famílias e, inúmeras vezes, tendo que ser mãe e pai ao mesmo tempo. São famílias, em sua maioria, vindas de diversos bairros da periferia de Jundiaí ou de cortiços da região central, que, para prover o sustento dos filhos/netos e a manutenção da casa, buscam recursos no comércio do sexo ou no mercado informal de trabalho. Grande parte migrou para cá da região norte e nordeste. Quando não encontram mais perspectiva alguma de vida, diversas apresentam sintomas de desequilíbrio mental, outras se suicidam, algumas se tornam moradoras de rua e há, ainda, aquelas que “prestam serviço” ao tráfico, levando droga dentro do corpo aos presídios.

VII – PROJETOS:

Serão desenvolvidos de 2ª. a 6ª. feira, no período das 8h00 às 17h00, estendendo-se, na 4ª. feira, até as 20h00, com aulas de capacitação e geração de renda e atividades de integração, educacionais e lúdicas.

  1. 1.     Reunião semanal em grupo:
  • Objetivo: convivência, integração, melhoria da autoestima.
  •  Atividade: primeiro momento: cânticos à escolha das participantes, leitura e reflexão sobre um texto bíblico – dentro dos princípios do ecumenismo e do diálogo, ressaltando a misericórdia de Deus e sua proposta de esperança para todas as pessoas -, partilha de experiências, testemunho e oração.
  • Público alvo: mulheres em situação de vulnerabilidade social;
  • Capacidade de atendimento: 70.
  • Recurso financeiro a ser utilizado: R$ 200,00 mensais;
  • Recursos humanos envolvidos: três voluntárias, sendo duas professoras, com extensão universitária em matérias pedagógicas;
  • Abrangência territorial: Jundiaí, Campo Limpo, Várzea Paulista e Cabreúva;
  • Participação das usuárias: colaboram na escolha dos temas; opinam; ampliam a informação com pessoas de seu meio e testemunham as mudanças em suas vidas.
  1. Aulas de artesanato (bordado, tapeçaria, crochê, bijuteria e pintura em tecido):
  • Objetivo: Melhoria da coordenação motora, da autoestima, convivência.
  • Atividade: primeiro momento: conversa com o grupo, escolha do desenho a ser pintado e/ou bordado ou da peça de crochê ou de bijuteria, aprendizagem da técnica e execução. Comercialização das peças em eventos, com a renda revertida para quem fez.
  • Público alvo: mulheres em situação de vulnerabilidade social;
  • Capacidade de atendimento: 10 alunas por curso;
  • Recurso financeiro  a ser utilizado: R$ 350,00 mensais;
  • Recursos humanos envolvidos: três voluntárias.
  • Abrangência territorial: Jundiaí;
  • Número semanal de aulas: 08;
  • Participação das usuárias: escolhem o tema de cada trabalho, executam, buscam o aperfeiçoamento e comercializam as peças.
  1. 3.     Aula de alfabetização e noções de matemática:
  • Objetivo: alfabetizar-se e aprender cálculos, principalmente para situações do cotidiano.
  • Método de ensino de silabação: alfabetização pela conscientização, de acordo com o método Paulo Freire. Observação dos vocábulos mais usados pelas alunas, que servem de base para as lições. A pedido das alunas, cada uma possui, para usar em casa a Cartilha Caminho Suave. Provavelmente era a cartilha que viram, quando criança, e à qual não tiveram acesso.
  • Público alvo: mulheres em situação de vulnerabilidade social, analfabetas e semialfabetizadas;
  • Capacidade de atendimento: cinco alunas por aula;
  • Recurso financeiro utilizado: R$ 100,00 mensais;
  • Recursos humanos envolvidos: uma professora voluntária (pedagoga);
  • Abrangência territorial: Jundiaí;
  • Número de aulas semanais: 04;
  • Participação das usuárias: execução das atividades propostas.
  1. Cozinha semi-industrial – projeto “Saber do Sabor”:
  • Objetivo: preparação para atuar em cozinhas industriais e restaurantes, com os conhecimentos necessários de higiene, qualidade dos alimentos e receitas diversas, além de atuação na própria cozinha, atendendo encomendas e fornecendo marmitex, possibilitando geração de renda para mulheres que pela falta de qualificação profissional e desequilíbrio emocional, não conseguem se colocar no mercado profissional.
  • Público alvo: mulheres em situação de vulnerabilidade social;
  • Capacidade de atendimento: 20 para os cursos;
  • Recurso financeiro utilizado: R$ 2800,00 mensais;
  • Recursos humanos envolvidos: duas voluntárias com conhecimento em gastronomia. Capacitação, em manipulação dos alimentos, pela Vigilância Sanitária.
  • Abrangência territorial: Jundiaí;
  • Número de aulas: 02 por mês. Funcionamento da cozinha: de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 17h00.
  • Participação das usuárias: escolha do que será ensinado, produção dos quitutes e marmitex, reuniões de avaliação e comercialização.
  1. 5.     Terapia semanal em grupo com psicóloga:
  • Objetivo: construir a consciência e a autoconsciência de suas atitudes no meio em que vive.
  • Atividade: roda de conversa. 
  • Público alvo: integrantes que participam dos cursos.
  • Capacidade de atendimento: 10.
  • Recurso financeiro utilizado: sem ônus para a entidade.
  • Recursos humanos envolvidos: psicóloga especializada em convivência no trabalho.
  • Abrangência territorial: Jundiaí.
  • Periodicidade: uma vez por semana.
  • Participação dos usuários: através do diálogo no grupo de terapia.

 Atividades para crianças até seis anos: lúdicas.

  • Objetivo: convivência e fortalecimento de vínculos com a mãe e/ou avó.
  • Público alvo: filhos e/ou netos das assistidas.

Atividades para crianças e adolescentes de sete a 15 anos:

 6.     Aula semanal de reforço escolar:

  • Objetivo: colaborar na aprendizagem e impedir a evasão escolar.
  • Público alvo: filhos e/ou netos das participantes.
  • Capacidade de atendimento: 05 por aula.
  • Recurso financeiro utilizado: R$ 100,00 por mês.
  • Recursos humanos envolvidos: três professoras voluntárias, sendo duas pedagogas.
  • Abrangência territorial: Jundiaí.
  • Número de aulas semanais: 04.
  • Participação dos usuários: apresentam as dificuldades na escola e realizam as atividades propostas. Avaliação através do resultado na escola.

7.     Aula semanal de violão.

 Objetivo: desenvolver o gosto artístico e a sensibilidade musical e utilizar as letras para reflexão em grupo.

  • Público alvo: filhos e/ou netos das participantes.
  • Capacidade de atendimento: 08.
  • Recurso financeiro utilizado: R$ 200,00.
  • Recursos humanos envolvidos: Uma professora voluntária.
  • Abrangência territorial: Jundiaí.
  • Participação dos usuários: opinam sobre a escolha das músicas e se apresentam com canto e instrumento. Avaliação através da atenção e comportamento nas aulas.

 8.     Outros:

 Campanha, em escolas e igrejas, de conscientização sobre as sequelas do comércio do sexo e do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, através de artigos, entrevistas, palestras e debates.

  •  Objetivo: lutar contra a desvalorização do ser humano, submetido a uma relação de poder que escraviza.
  • Recurso financeiro: sem ônus para a entidade.
  • Recursos humanos envolvidos: duas voluntárias da entidade.
  • Abrangência territorial: Jundiaí.

Preparação de agentes para trabalho de prevenção e acolhimento, como projeto piloto, em áreas da Região I da Diocese.

Após mapeamento de áreas de prostituição, nas proximidades de comercialização de drogas nos bairros da Região I da Diocese de Jundiaí ( Paróquias de: Vila Arens, Centro, Vila Rio Branco, Anhangabaú, Santo Antônio), capacitação de agentes dessas paróquias para atuarem na prevenção e no acolhimento. Temas a serem desenvolvidos, por especialistas no assunto: sexualidade, abuso sexual infanto-juvenil, promiscuidade sexual e dependência química, problemas mentais e desequilíbrio sexual, prostituição, sexualidade e maturidade emocional.

  • Objetivo: ampliar o enfrentamento à situação de vulnerabilidade social de mulheres de vida negada pela violência intra-familiar, extra-familiar e institucional, lenocínio, exploração sexual etc.
    • Recurso financeiro: sem ônus para a entidade.
    • Recursos humanos envolvidos: quatro voluntários da entidade, além de profissionais convidados.
    • Abrangência territorial: Jundiaí.

VIII – OBJETO DO RECURSO A SER REPASSADO PELA PREFEITURA:

 Aquisição de passes para transporte das integrantes, já que a maioria vem de bairros distantes.

IX – METAS:

  • Manter o atendimento a 44 mulheres e 51 crianças e adolescentes.
  • Acolher e encaminhar outras mulheres em situação de vulnerabilidade social e sua família para os atendimentos especializados.
  • Reinserção social das integrantes.
  •  Reconstrução de projeto individual de vida com protagonismo das mulheres.
  •  Enfrentamento da exploração do comércio do sexo e do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes.
  • Manter em escolas e igrejas, campanha de conscientização das sequelas da exploração do comércio do sexo e do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, através de artigos, entrevistas, palestras e debates.
  • Ampliar o número de agentes para trabalho de prevenção e acolhimento em área da prostituição ligada ao comércio de drogas.
  • Proteção básica social dos filhos e/ou netos, com serviço de convivência e fortalecimento de vínculos.

Jundiaí, 17 de janeiro de 2013.

Maria Cristina Castilho de Andrade

Presidente da Associação “Maria de Magdala”

 “A sociedade que cria (…) punições às atividades de prostituição em nome da moralidade e dos bons costumes é a mesma que cria subterfúgios para manter esses serviços ativos e disponíveis quando a ocasião, e/ou a necessidade, se apresentar.” (Paulo Cicarelli)

Anúncios

2 respostas para Plano de Ação Associação Magdala – 2013

  1. Pingback: Associação Magdala – Planos de Ação e Resultados | "Associação Maria de Magdala"

  2. Maria Lúcia T.C.Nasser disse:

    Sou admiradora do trabalho desenvolvido por esta instituição. Gostaria de conhecer mais e quem sabe participar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s